quinta-feira, 10 de julho de 2008

Branquinha de Leite



Existem pessoas que surgem em nossa vida quando a gente menos espera, não é mesmo!?
Exatos três meses passaram e me vejo quase todos os dias da semana fascinado pela presença constante de alguém que estava tão perto e tão longe.
Da menina Linda e pequena que fugia ao me ver chegar em sua casa quando da minha visita... Hoje a presença constante da mulher Linda, faceira, inteligente, "Geniosa pra Dedéu" e cheia de Vivacidade...
Agradeço sua presença e rogo a Deus pela sua saúde e progresso moral, espiritual e profissional.
Queria ver seu sorriso atrelado ao meu e que a "Branquinha de Leite" ficasse feliz com minha presença ao seu lado.
Desejo o Pôr do sol de Jericoacoara, o nascer do Sol de Santorini, o Verde dos campos Escoceses, minhas conchinhas do mar, o sabor mais saboroso do Sorvete "FRUTE DI BOSCO" e minha vontade de ter um coração tranquilo com riso de menino do "Buchão".
Hoje acordei "meloso incontinenti".

2 comentários:

Ana Léa disse...

Fico muito feliz com o lindo casal e por minha amiga-irmã estar caminhando feliz.
(Lembro das arengas infantis...eu participava na implicância! rs)
Espero que o "querer bem" só aumente e que a felicidade estacione no caminho de vocês!
beijos ao casal... e saudades!

Renata disse...

Fiquei surpresa e profundamente emocionada com seu texto. Lindas palavras!
De fato, nossa história é especial; digna de um mega roteiro hollywoodiano, bem ao estilo “comédia romântica levemente dramática...” No meu ponto de vista uma mistura até necessária, porque assim é a vida.

No início de minha infância, Dona Idelária questionou-me diversas vezes sobre sentimento e comportamento. Por ser sempre atenta e observadora, não foi difícil perceber o desconforto que eu sentia com a sua ilustre presença em minha casa nos finais de semana e preocupada perguntou-me:
-Minha filha, o que há com você? Você tem alguma coisa contra o Bebeto?
E eu com meus 5 ou 6 anos respondi:
- Não , mamãe! Eu não tenho nada contra o Bebeto... Eu simplesmente não gosto de pessoas bonitas! (Ainda vai?)
Bem, o fato é que hoje estamos nos conhecendo verdadeiramente e a meu ver tentando resgatar o tempo perdido... Poderíamos ter tomado mais banhos de mangueira juntos, ter convivido mais, brincado mais, conversado mais, beijado mais e paquerado mais. Por outro lado, creio que se tivéssemos convivido constantemente, o interesse de homem e mulher não teria aflorado com tanta veemência, certeza e precisão. Sabe-se lá...
Foi com você que descobri o interesse pelo sexo oposto, a respiração ofegante, o coração saltitante e o desejo de estar sempre perto. O problema era que o desejo se equiparava ao “diabo” do medo do desconhecido. Daí a causa dos desaparecimentos repentinos em minha casa (eu me escondia no banheiro do quarto das gêmeas), dos choros referentes às insinuações dessa “paixãozinha” e do meu distanciamento compulsivo.
Hoje o medo foi substituído por uma curiosidade natural de conhecê-lo, pelo desejo de que esse sentimento nos leve a um encontro de idéias e valores capazes de nos fazer caminhar harmoniosamente pela vida afora...
Juntos...
Lado a lado...
Eu e vc....
Sabe-se lá...