terça-feira, 11 de novembro de 2008

As várias "personas" nossas.


“O Drama para mim está todo nisto: Na convicção que tenho de que cada um de nós julga ser um... O que não é verdade. Tantas quantas possibilidades de ser existem em nós. Um com este, outro com aquele... Diversíssimos. E é na ilusão entretanto, de ser sempre um para todos e ser sempre aquele um, que acreditamos ser em cada ato nosso...”(Pirandello – Seis Personagens a procura de um autor).

Devo lembrar que “personas” eram as máscaras usadas no Teatro Grego para representar tipos e fazer ecoar melhor o som das vozes emitidas pelos atores. Advém do latim. Desta palavra surgiram outras: Pessoa, Personalidade, Personagem e tantas outras. A palavra pessoa vem a ser todo ser Humano (Homem e Mulher). Criatura que provenha da mulher.

Semanticamente podemos dizer que pessoa é categoria gramatical que indica o participante de uma situação, distinguindo emissor (es), destinatário(s), e aquele(s) ou aquilo de que se fala, que são, respectivamente, a primeira, a segunda e a terceira pessoa.

Filosoficamente pode-se dizer que pessoa é cada ser humano considerado na sua individualidade física ou espiritual, portador de qualidades que se atribuem exclusivamente à espécie humana, quais sejam, a racionalidade, a consciência de si, a capacidade de agir conforme fins determinados e o discernimento de valores.

Juridicamente pessoa é o Ser ao qual se atribuem direitos e obrigações. O Ser Humano também é chamado de Pessoa Natural ou Pessoa Física.

Personagem, segundo o eminente professor de nossa língua pátria Aurélio Buarque de Holanda significa: [Do fr. personnage.]S. f. e m. 1. Pessoa notável, eminente, importante; personalidade, pessoa. 2. Cada um dos papéis que figuram numa peça teatral ou filme, e que devem ser encarnados por um ator ou uma atriz; figura dramática. 3. P. ext. Cada uma das pessoas que figuram em uma narrativa, romance, poema ou acontecimento. 4. P. ext. Ser humano representado em uma obra de arte.

E toda pessoa é dotada de personalidade até que um cientista psiquiátrico prove o contrário. Personalidade confunde-se muito com todas as outras palavras já mencionadas. Porém pode-se dizer que personalidade é o caráter ou qualidade do que é pessoal; pessoalidade. É o que determina a individualidade duma pessoa. É o elemento estável da conduta de uma pessoa; sua maneira habitual de ser; aquilo que a distingue de outra. Traços típicos; originalidade.
Psicologicamente pode-se ainda dizer que é a organização constituída por todas as características cognitivas, afetivas, volitivas e físicas de um indivíduo.

Diante disto, pergunta-se: Quantas personalidades temos? Uma? Duas? Muito mais? Conforme trecho do texto de Pirandello eu diria que temos muitas que não sabemos mostrar, dizer e explicitar de forma clara. Basta olharmos para nossa família em uma ocasião especial, como um churrasco de fim de semana, um batizado, aniversário de quinze anos da prima, festa de formatura do irmão, passeio , enfim... Percebe-se muitas vezes um Tio austero, que volta e meia faz discursos para outras pessoas e expressa opiniões sérias sobre a moral e os bons costumes diante dos filhos e sobrinhos e a recriminar qualquer desatino destes descendentes.

Porém, quando sozinhos com amigos numa praia ou mesa de bar, tornam-se desbocados, alegres, piadistas das anedotas mais politicamente incorretas possíveis e dizem palavrões de todas as escalas de tremores. A que isto se deve? O que significa tal postura? É um “porco chovinista”, conforme diria “Fonseca” chefe do movimento feminista da cidade de Uruaú? Hipocrisia? Simplesmente NÃO! Somos vários sujeitos numa só pessoa! E bem sabemos que é deveras difícil juntar esses vários num só. Todos nós somos assim. Nos portamos diferentes em cada lugar e ocasião onde estamos sem perceber. As mulheres então, “xiiii”.... Nem se fala.

Os homens, percebem múltiplas mulheres em uma só: Mudam de comportamento facilmente, conforme for à circunstância; saem do pólo do bom humor para a raiva em segundos conforme for à crise da TPM; Reclamam do preço alto da gasolina, mas são capazes de gastar em um só tacada Duzentos “Paus” numa escova e corte de cabelo; Falam mal da “D. Estelita” que é exibida demais e são capazes de pedir emprestado o vestido da mesma para tirar o molde ...

Muitas mulheres já possuem o discurso preparado de que “todos os homens são iguais, sem sensibilidade, são grossos e que não entendem a alma feminina, etc, etc”. Porém, acham os homens tímidos, sensíveis, românticos e ternos “sem brilho e moles demais!”... Outras ficam em crise quando estão ficando apaixonadas por outro, outra não para de falar em doença quando está com as amigas e outras dizem não agüentar mais olhar para a cara do marido e que gostariam de estar num fantástico hotel com o estivador Norte-americano de braços tatuados (e no dia seguinte ligar para amiga chorando porque está desconfiada de que o marido tem uma amante).

Pode? Pode. E porque não!? Será que quem tem várias personalidades é porque no fundo não tem nenhuma ou, inversamente, é uma pessoa riquíssima mentalmente? Eu sei lá meus amigos! O certo é que, quem pretende ter uma relação estável nos dias de hoje, costuma procurar pessoas que parecem equilibradas e de pensamento tranqüilo frente às questões do cotidiano.

Mas é sempre bom estar preparado para saber que um dia esta pessoa tida como calma e equilibrada tem um outro lado que é o contrário do que sempre pareceu que era. E aí, pode ser isso ótimo ou, péssimo dependendo da revelação. Conviveremos com o outro (ou os outros) lado da pessoa escolhida e amada com ímpeto, magia e tempero ou, estaremos fadados ao sentimento de frustração e decepção.

Existem pessoas que possuem opiniões fechadas para tudo e todos os assuntos e possuem certezas sobre tudo e todos e que não aceitariam tal ciosa ou comportamento do outro.

Estas (penso eu cá com meus “botões”) estão bem mais sujeitas ao sentimento de fracasso. Posto que, não podemos controlar tudo e no fundo queremos pessoas que nos surpreendam na vida. Pense: Você se conhece de verdade? Alguém conhece você a fundo? Não minta.

E assim continuamos a viver, conhecendo novas pessoas, fazendo amigos, criando redes de relacionamento, estudando, trabalhando, casando, tendo filhos... E muitas vezes sem que ninguém tenha a simplória ou mínima idéia de quem é você, quem são elas ou eles e de quem somos nós.

Segundo um amigo meu, o ideal seria cada ser humano ter sua própria “bula” com as devidas contra-indicações ou ter um manual de instruções para o usuário. Mas, na verdade, de repente, cá para nós, se soubéssemos tudo das pessoas, talvez a vida ficasse monótona de ser vivida.Assim, o importante é viver e deixar viver. É expressar aquilo que sente já e agora. Aproveitar tudo de bom que as pessoas podem nos ofertar. É viver com otimismo. Se você tem alguém que pensa ser especial para compartilhar não deixe para depois; e lembre-se que o tempo é igual para todos.

“Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade; até que você volte para a faculdade; até que você perca 5 quilos; até que você ganhe 5 quilos; até que você tenha tido filhos; até que seus filhos tenham saído de casa; até que você se case; até que você se divorcie; até sexta à noite; até segunda de manhã; até que você tenha comprado um carro ou uma casa nova; até que seu carro ou sua casa tenha sido paga; até o próximo verão, outono, inverno; até que você esteja aposentado; até que a sua música toque; até que você tenha terminado seu drink; até que você esteja sóbrio de novo; até que você desencarne (morra)...” (Alfred Henfil).

2 comentários:

Maria Isabel disse...

Revelador.
As mulheres não são afinal tão diferentes dos homens.
Interessante que, na última quinta, assisti uma palestra na Torre Quixadá, Grupo Espírita Paz e Bem, que tratava das múltiplas personalidades do ser humano. Já havia lido algo sobre a existência de três pessoas dentro de cada um de nós. Na ocasião, o palestrante se referiu a um autor que citava seis personalidades em cada ser humano, mas você identificou várias.
Gostei da sua percepção de que as pessoas são surpreendentes e de que devemos estar sempre preparados, é sinal de maturidade.
Tocou-me a afirmação de que não devemos aguardar que isso ou aquilo aconteça. Por muito tempo, deixei a vida pra depois, mas acredito que já comecei a mudar.
Valeu! Muito bom o texto.

Reial Linhares disse...

Obrigado Maria Isabel! Agradeço o comentário.